Meus destinos

Eu fico aqui e olho pro tempo que me olha e me cobra perdê-lo. Ferozes são os meus destinos que por serem tantos, são nenhum. Ainda que eu lhe siga com meu faro, não percebo por onde ando nem aceito por onde me leva. Me conduz e me acusa de levá-lo, me traduz e me condena de buscá-lo. Ainda que lhe te rogue Que não me aflija Não se comove quando eu choro nem se importa que eu me fira Quem dera! Por um instante apenas: desmascará-lo.
0